19
Mar 2011
E-mail

Características..

Endêmico da bacia Amazônica, o tambaqui é um peixe pertencente à família characidae, sendo, sem dúvida, uma das espécies mais desejadas pelos pescadores.

Hoje em dia por sua forte briga e sua farta carne, com pouca espinha e de excelente sabor.

Peixe de escama, é um dos maiores do Amazonas, chegando a atingir, aproximadamente, 90 cm de comprimento e 30 kg.

Antigamente, eram capturados exemplares com até 45 kg.

Hoje, por causa da sobre-pesca, praticamente não existem mais exemplares desse porte.

Seu formato é arredondado com coloração parda na metade superior do corpo e preta na metade inferior, podendo variar para mais clara ou mais escura dependendo da cor da água.

Os alevinos apresentam manchas escuras espalhadas pelo corpo, geralmente de cor cinza claro.

Hábitos: Cresce rapidamente e é onívoro, ou seja, come praticamente de tudo: frutas, sementes, folhas, plâncton, insetos e outros elementos que caem na água, incluindo coquinhos maduros que tritura com seus dentes fortes e arredondados.

A reprodução é assexuada com os gametas machos e os óvulos das fêmeas liberados na água, sendo que uma pequena porcentagem será fecundada.

Curiosidades:

É um peixe reofílico, isto é, precisa realizar migrações reprodutivas rio acima para amadurecer sexualmente e procriar (piracema).

Esse fenômeno ocorre, geralmente, entre agosto e dezembro, quando os cardumes aproveitam a cheia dos rios para subir a correnteza, percorrendo, muitas vezes, mais de 1000 km.

Devido ao esforço, o peixe desenvolve em seu corpo o ácido lático, fazendo com que ocorra um estímulo na produção dos hormônios sexuais liberados pela hipófise, glândula localizada na região inferior do cérebro.

Nas criações, o tambaqui só se reproduz quando ocorre aplicação de injeções de extrato de hipófise, pois a água parada não permite que o mesmo tenha a oportunidade de desenvolver corretamente sua produção hormonal.

Onde encontrar:

Nativo da bacia do rio Amazonas, graças a sua variedade de cardápio, o tambaqui já começa a habitar outros estados brasileiros podendo ser encontrado também no Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Paraná..

Mesmo não sendo recomendado para a região Sudeste, devido a sua sensibilidade a temperaturas mais baixas (ideal entre 26 º e 28 º).

Opção seria o híbrido tambacu (cruzamento de tambaqui com pacu) que une a resistência do pacu com o rápido crescimento do tambaqui.

Dicas para pescá-lo: Nas cheias, pode-se pescá-lo na batida.

Use varas longas com ponta grossa e linha 0,90 mm do tamanho da vara em absoluto silêncio simulando a queda de um fruto na água

 

por:Famaamazonica

Tambaquí
 

Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado ...

  O carro elétrico da Fórmula Estudante chega a ...

O balanço da Copa é, sem dúvida, totalmente ...

O momento da derrota se mostra oportuno para avaliarmos ...

A ideia de confeccionar uma bola especial...

1. Jogadores podem erguer só por alguns minutos a ...

Levantamento do Reportagem Pública mostra como as “quatro ...